Páginas

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Tamanho da Alma



Trago em mim algo maior,
Algo que me alegra ou me dói,
Que me cresce ou me corrói,
Algo que me obriga a ponderar,
Que me faz acreditar.

Algo de um tamanho sem medida
Que me aconselha ou trucida
E que em permanente investida
Me eleva no fado na vida

A alma que caminha comigo
No corpo que lhe serve de abrigo
Traja os meus olhos e a pele que me despe
Partilha a almofada e a noite agreste

A alma que em paz me adormece
E transborda num juízo tranquilo
Acalma o coração que ferido
Se aperta num ferimento sentido.

A alma que alimenta o meu ser
Que orienta o meu querer
Deixa que prossiga tranquila
Que não tenha nada a temer.

Fernanda Paixão
2012-07-21