Páginas

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Troveja




















Lá fora troveja
O barulho ensurdece
Gritam palavras que não quero ouvir
Fecho a janela ao mundo que nego existir.
Praguejam blasfémias,
Distorcem os sentidos
Ocultam a luz que se impõe num trovão
Rasga-se o céu e o silêncio da noite
Sussurram-se segredos
Conspiram-se acções
Transportam-se no peito tantas traições


By Fernanda Paixão
2011-08-25