Páginas

sábado, 27 de fevereiro de 2016

Que me atropelo





Sei que me atropelo
Nos atropelos da vida,
Nos desígnios soprados ao meu passar;
Nos passos incertos para aonde não penso ou não quero chegar;
Sei que me atropelo
No manto com que guardo o meu sofrer
Na chave com que encerro o meu sentir
No leito em choro os meus prantos
Nos sorrisos que os outros não sabem sorrir
Sei que me atropelo
Nas escolhas que faço,
Nas entregas aos outros
Na abundância em mim;
E ainda assim,
Neste caminho em que me atropelo
Neste flagelo em que me aquartelo
Hospedo a vida em amor singelo.

By Fernanda Paixão

01-09-2011