Páginas

terça-feira, 24 de março de 2015

Hoje Morro





Hoje morro,
Morro um pouco cada dia
Até que um dia morro
E mesmo que do cimo do morro
Se alcance a infinitude do olhar
Cairão por terra as ilusões da perenidade
Que preencheram as utopias da adolescência
que teima em não me abandonar.
E assim morrerei,
Corpo macerado de uma adolescência por desflorar.

Fernanda Paixão

24/03/2015