Páginas

sábado, 31 de janeiro de 2015

Predicado






Já não me inquieta a voz dos outros,
E os olhares que se incendeiam não me agitam,
Já não me sangram as ilusões,
São passeios celestes, diapasões;
Num compasso arritmado,
Já não ouço o badalo do sino adestrado,
As falácias, as grilhetas, o falso fado,
A cadência amorfa de quem passa ao meu lado
Não reduzo a vida a um predicado!


Fernanda Paixão

30/01/2015