Páginas

terça-feira, 18 de março de 2014

ALMA DESASSOSSEGADA


 
 
Minha alma desassossegada
Quase se entrega,
Quase desiste por estar fatigada.
Quase acredita não valer nada.
Encosta-se ao ombro ou fica inquieta
Medita no mundo que já não desperta
Minha alma desassossegada
Fica atenta, mantem-te acordada
A luta que travas não é desejada
Minha alma desassossegada
Sente-se só, abalroada
Descrente do mundo de gente assombrada
Gente sem sonhos, nação ofuscada
Minha Alma desassossegada
Poente da luta por se libertar
Um dia virá em que poderás voar.
 
 
06/10/2013
By Fernanda Paixão