Páginas

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Singelezas


 
Trespassei o umbral;
mergulhando no escuro da sala.
As pesadas portadas cortavam a luz
de um dia que deixava lá fora.
Do vazio da sala,
das paredes singelas,
assomava um respirar pausado por suspiros.
No caminho perdera indiferenças, sonhos e crenças,
Despira-me de mim.
E, assim, desnuda,
num passo vacilante, dividi a tua mão …
aceitamos a vida que nos saúda.

 

Fernanda Paixão

03-02-2014