Páginas

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Há palavras



Há palavras que se calam
que se guardam com tremor
ou se vivem em horror.

Há palavras que indizíveis
Só(s) no silêncio se gritam
E, ainda assim, sufocam
porquanto, coladas ao céu-da-boca,
crepitam em vontades
que se enrolam em sangue quente
numa vontade, tão, urgente.

Há palavras levianas,
provindas das vidas de vazias
de quem não sentindo alegrias,
ceifam o alento diferente
quais ociosas alforrias
ofuscando os olhos alheios de pranto
tais as lucernas de desencanto

Há palavras que se calam
Que se guardam com tremor
Ou se vivem em horror.

Há palavras sem sabor!

2013-10-30
By Fernanda Paixão