Páginas

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Quando tudo Acabar



Quando tudo acabar

E quando tudo acabar,
Quando nada mais sobrar
para amar
O céu vai chover
Crivar a terra
com grossas gotas de água
e
nem uma lagrima derramar
e
O mar vai abrir-se
esventrar as entranhas que calou
para nos fazer sonhar.
E
quando tudo acabar,
Qual campo de trigo amarelo
acabado de ceifar,
O bafo do ar quente
queimará pensamentos que,
perdidos,
teimam flutuar,
E o sopro ultimo da voz
Arrancado com dor e sangue
Ecoará,
Um recomeçar,
Para Amar.

17-10-12
Fernanda Paixão