Páginas

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Não te vejo



Procuro nos teus olhos
A verdade que não me dirão
Procuro em vão
Procuro onde nada do que procuro existe,
Os teus olhos de quimera triste.
Procuro em vão
Procuro o que pensei encontrar
O que te negas a mostrar.
Procuro em vão
Procuro os teus olhos 
Procuro a certeza por detrás da fachada
Mas tu partiste, manténs a porta fechada.
E eu que procuro a razão deste ser
Vou para o meu mundo, não quero sofrer
E se algum dia os teus olhos encontrar
Sei que eles estarão a sangrar
Procuro os teus olhos
Procuro em vão
Os teus olhos partiram, já cá não estão
Deixaste um vazio, a escuridão.

By Fernanda Paixão
01-09-11