Páginas

quarta-feira, 25 de abril de 2012

LIBERDADE



Tenho pressa.
Deixem passar!
Persigo o tempo,
que não consigo parar.
Trago ilusões no regaço,
Na boca verdades que querem ser salvas.
Guardo sonhos que se acotovelam
Numa pressa de alvorecer.
Tenho palavras arrumadas
Pela ansia de viver.
Nas mãos tenho o trabalho
De uma vida a suceder.
Nos olhos cintilam as lágrimas,
 que o mundo há-de verter
Os gritos que o medo cala,
apenas me fazem sofrer.
Deixem passar
Que tenho pressa
Uma vida para viver
Na justiça e na verdade
Em respeito e dignidade
Haverá um dia LIBERDADE

Fernanda Paixão
25-04-2012