Páginas

quarta-feira, 7 de março de 2012

Colhi um Ramo





Colhi um ramo de alfazema.
Pelo aroma, pela cor?
Talvez impelida pelo rubor,
Colhi um ramo de alfazema.
Guardei-o,
atado com uma fita de seda branca.
Não sei do ramo de alfazema
que escolhi e colhi.
Podia ter sido para ti.
Esse ramo de alfazema foi acolhido em mim.
Às vezes abro uma gaveta,
Não vejo o ramo de alfazema...
Mas o aroma da gaveta aberta recorda-me o dia em que o colhi.
Um dia em que estava junto a ti.

Fernanda Paixão
2012-03-06