Páginas

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Um dia, Natal



Os filhos regressam
As casas ficam mais cheias
Paira no ar o cheiro das lareiras.
Pelas vidraças embaciadas
Percebem-se sorrisos soltos
Das crianças entusiasmadas;

A noite vai vestir-se de estrelas,
A lua enfeitar-se de prata,
No céu vão pintar-se aguarelas…
As bocas vão dizer as palavras mais belas!

Repartem-se nas mesas suculentos manjares
Fazem-se brindes e outros esgares
Trocam-se presentes e muitos afectos
O mundo vai fingir com actos concretos.

Do lado de fora, na rua tão fria
Sem nada a perder e com a mesa vazia
Estará gente triste com coração que ainda bate
Um rosto abatido num mundo à parte.


Fernanda Paixão
2011-12-22