Páginas

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

De mim? Digam o que quiserem.



De mim, digam o que quiserem
Blasfemem e gritem bem alto
Atirem calúnias infames
Praguejem, agitem os ditames 
Reúnam todos os conclaves
Tranquem a verdade com chaves
Espalhem veneno na ferida
Deixem a minha pela corrompida
Cravem a lança bem fundo
Procurem fazer-me sangrar
Sejam iguais a vós próprios
Ninguém vos pretende mudar
De mim, digam o que quiserem
Minha boca se calará
A verdade caminha sozinha
Um dia ela chegará

2011-11-25
By Fernanda Paixão