Páginas

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Baluarte


Sou parte de ti
A parte tão imperfeita
O minuto do teu querer
A sombra do teu ser
A parte feita rascunho
O risco feito pelo teu punho
O esboço traçado a carvão
Do qual apenas sobra o borrão
Sou a parte que soluça e chora
A que se anula e apavora
Sou a palma da tua mão
O bater do coração
Sou a súplica de apoio
Sou apenas o teu joio
Sou a parte que se parte
O fragmento da tua arte
Sou o teu porta-estandarte
És tu, o meu baluarte.


20111111
By Fernanda Paixão