Páginas

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Sou




Sou pouco,
Um nada feito de mim
Um vazio cor de marfim

Sou matéria
Éter volátil destinado a Morfeu
Nuvem sem água, um fogo que ardeu

Sou terra
Um pedaço de pedra a desfazer-se em pó
Linha traçada, corda desfiada sem dó

Sou electrão,
Talvez protão,
Sou carga eléctrica que se anula na fusão

Sou areia que entre os dedos se escapa
Sou a hera que sobe pela escarpa
Sou a mão que partilha os teus medos
Sou água que lava os segredos,
Sou a brisa que se elevar no ar
Sou um nada feito para te Amar.
By Fernanda Paixão
05-07 -2011