Páginas

quinta-feira, 3 de março de 2011

Escrevo-te



Escrevo-te para que guardes de mim as palavras
As curvas das letras, as pintas dos is, as marcas dos dedos.
Escrevo-te para apagar o silêncio em que mergulho,
Os gritos de dor, os suspiros profundos, os olhares perdidos.
Escrevo-te porque as palavras teimam fluir,
As mãos arrefecem em quietude, as ideias parecem bulir.
Escrevo-te porque me lembro de ti,
Porque o olhar teima em chorar.
Escrevo-te porque o grito escrito é maior,
Porque sinto na boca a lembrança do teu sabor.
Escrevo-te porque as paredes me fecham a voz
Porque me firo na ideia de estarmos nós.
Escrevo-te porque as palavras escritas se podem rasgar
Porque a demora teima ficar.
Escrevo-te porque imagino a tua pele pergaminho,
A tinta que desenha o caminho.
Escrevo-te porque evado ilusões e liberto emoções
Sonho…
Escrevo-te pedindo tuas mãos para me afagar,
Anseio o teu regresso ao esboço do meu esgar.
Escrevo-te e amarroto o papel,
Pinto a minha boca com tons de pastel,
Sinto o sabor da tua pele!

By Fernanda Paixão
02-03-2011