Páginas

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Indiferente


É passar distante da vida
Fantasiar existir sem viver
Ter cegueira adquirida,
Para fingir e não ver
Indiferente …
É estar em coma constante
Sentir a alma dormente
Possuir surdez selectiva
Não ver o sangue que jorra da ferida
Para não ter que sofrer
Indiferente ..
É cobardia infame                        
É doença ou vexame
É não sentir o nascer
É não chorar o perder, o sofrer ou o morrer!
É não sorrir no sorriso
É não amar o amor, uma criança ou uma flor!
É não se entregar de alma cheia
É não sentir o sangue na veia
É não ver o dia que clareia ou o luar da lua cheia!
Indiferente …
É não olhar nos olhos
É não beijar por ter medo
É não libertar o sonho
É a miséria não ver
É deixar a vida correr para não ter que a viver!
É perder a dignidade, o orgulho a liberdade!
É estar morto sem saber
É não preencher o vazio
É viver num mundo frio…

By Fernanda Paixão
19-02-2011