Páginas

sábado, 22 de janeiro de 2011

Lyonce Viiktórya


Longe dos poemas, hoje deixo uma reflexão ... um estado de espírito, se assim lhe posso chamar...
Lyonce Viiktórya – É com o estômago às voltas que vou ouvindo e lendo comentários de todo o tipo de “gente” sobre o nome da criança acabada de nascer e registada com o nome “Lyonce Viiktórya”.
Não vou ser hipócrita ao ponto de dizer que me agrada e que não soltei uma gargalhada com algum tipo de “piada” feita à custa do mesmo num órgão de comunicação social.
Contudo e porque as injustiças me doem na alma e porque há gente que se outorga o poder da “superioridade” e da irrevogabilidade de valores não posso deixar de me indignar com a “notícia” que acabei de ler no semanário “i” na coluna intitulada “COLUNA VERTEBRAL”, na página 4, e assinada por um senhor de nome José Couto Nogueira.
A notícia é rematada, após algumas considerações com “Agora talvez se pudesse intervir através da Assistência Social, o organismo que monitoriza as agressões domésticas. Porque Lyonce Viiktórya é notoriamente um caso de violência infantil”.
Este senhor, que alega que os pais que atribuem o nome de Lyonce Viitórya a uma filha deveriam ver-se a braços com um processo de violência infantil, defende no parágrafo anterior que quem por acaso do destino teve/tem pais alcoólicos ou desleixados se deve resignar pois: “Azarito” o deles…
Sinceramente, num país atravessado por uma grave crise económica e política, num país onde os valores se perdem a cada dia que passa e onde é permitido que se crucifiquem pessoas na praça pública fazendo da escolha de um nome uma notícia de interesse nacional só pode estar à beira do abismo.
Mal vai o país em todos têm medo de manifestar a sua opinião em causa própria ou em prol da cidadania ou do interesse público mas se advogam de poderes para o debate, ou melhor, achincalhamento de quem não tem poder.
Não quero, também eu, advogar-me um direito que não possuo mas será justo satirizar um casal, que aliás tem sido sistematicamente objecto de chacota, apenas por possuir algum dinheiro sem uma posição social relevante ou sem formação intelectual?
Porque não se lançam as mesmas chacotas sobre outros nomes de filhos de famosos, sejam eles portugueses ou não? O que dizer sobre o nome Cristianhinho? Ronaldinho? Vanessa Sofia? Ana Mar? Ana Miguel? Santiago? Leonardo? Martin? Mia? Iris? Carolina? Milena? Milene? Horácio? Efigénia? Paris? Etc., Etc., Etc.. Não emito qualquer manifestação sobre os nomes, tenho a minha opinião, é claro, mas não me parece justo crucificar ninguém do modo como tem sido feito, tanto mais que quem está a ser visado, quer se queira quer não, é a criança indefesa e não os pais.
Alguém pensou indagar se Lyonce não será nome Guineense (terra natal do pai)?? Victórias Cristinas, Vitórias Marias, Marias Victórias há muitas por aí…
Não defendo ninguém mas a injustiça incomoda-me profundamente.
Fernanda Paixão