Páginas

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Sou Nua


Sou nua,
Despi-me de mim,
Fiquei transparente e neste instante trespassa-me o peito a dor do despeito.


Sou nua,
A ti me mostrei,
Roubas-te de mim o que não te dei. Marcaste o meu peito que nunca blindei!


Sou nua,
Chora-me o ser,
Procuro cansada o amanhecer. Procuro em vão não transparecer!


Sou nua,
Estou de partida,
Deixaste-me nua, tão desprotegida!


Sou nua,
Com roupa vestida. Não pode um amigo uma tal investida.


Sou nua,
Num mar turbulento,
Por mais que insista nunca mais aprendo!


Sou nua,
Frágil fulgor,
Suplico-te a ti, dá-me o teu calor.
Num abraço apertado, não finjas respeito!
Diz-me apenas a verdade sem qualquer preconceito!
Sê apenas sincero,
Amigo leal,
Não me digas mentiras, veneno fatal!

Sou nua
E assim tão frágil,
E em pura ilusão,
Te rogo amigo que não me magoes em vão.
Pois quando me entrego é com toda a paixão!


By Fernanda Paixão
2010-12-05