Páginas

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Escrevo o teu nome




Escrevo o teu nome
Brinco com o lápis que se esquece entre os meus dedos
Perco-me no tempo que cada letra demora a desenhar
Floreio com doces grinaldas as Consoante e Vogais
Escrevo o teu nome
A luz inquieta fá-lo dançar, fá-lo vibrar entre sombras e cristais
O papel, antes branco, tem a textura e a cor do passado
Escrevo o teu nome
Entre goles de café, lágrimas e sorrisos
Balbucio cada letra, cada sílaba para que não me fuja
Escrevo o teu nome
Reforço o ondular das letras marcadas no papel
Escrevo o teu nome
A verde, a azul, a carmim,
Escrevo o teu nome no verde do mar, no azul do céu ou no carmim dos lábios
Fecho-o e perfumo-o com salpicos de alecrim
Alguém um dia decifrará o que significou para mim

By Fernanda Paixão
23-08-2010