Páginas

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Sento-me e espero que chegues



Sento-me e espero que chegues,
Brisas suaves ondulam o meu cabelo.
Observo o horizonte e deixo-me levar nas ondas da nostalgia.
Recosto-me e fecho os olhos.
Imagino um azul cristalino no qual flutuo.
Embalo-me em almofadas de algodão.
Transbordo a leveza de um sentimento branco.
Um som suave murmura longe.
O ar é impregnado com o cheiro doce de chocolate e canela.
Bolas de sabão dançam e rebentam suavemente nas pétalas de rosa.
Sinto o calor do Sol na pele.
Balanço na brisa.
Deixo-me ir,
Entrego-me ao doce chilrear das aves e ao bailado das copas das árvores.
O sol insiste em brilhar e em pontilhar de amarelo o branco de algodão que me suspende e
O seu toque morno impele-me a continuar a sonhar.
Sonho e espero que chegues…


By Fernanda Paixão
31/05/2010