Páginas

sábado, 15 de maio de 2010

Gui




Desejei-te perdido em mim
Sonhei-te num turbilhão de emoções
Consolidei-te na ilusão
Guardei o Amor a dar-te
Chamei e senti-te chegar
Aninhaste-te em mim
Abraçaste-me e moldas-te o meu ventre num cálice de vida
Cresceste-me
Alimentaste-me
Sorriste-me numa vida que em duas se viveu una
Despojaste-me mas nasceste-me
Olhaste-me e chorei-te pelo milagre de seres vida que
Transportada em mim floriu
Perdi-me de Amor
Morri para renascer não sem antes me perder na ausência de ti em mim
Tão frágil, tão doce
Tu milagre vivo e nascido
Prendo-te em mim
Aconchego-te no meu ser
Transporto-te na alma
Alimento-te de mim
Vivo-te em mim
Dei-te a vida que quero abraces
Dei-te a Alegria do Amor
Dei-me a ti
Para que a tua caminhada seja vivida, sentida e “sorrida”.

Amo-te meu filho sê feliz

By Fernanda Paixão
10/05/2010